Conceito de empresa de confecção do futuro

Olá pessoal!

Este estudo (“Empresa de confecção do futuro“), iniciativa Cert/ABDI/SENAI/Abit, contém diversos conceitos presentes em nossa solução de software, claro que de forma mais simples, e que atenderá a mais de 90% das pequenas confecções e modelistas no Brasil, hoje.

Não deixe de conhecer o documento, onde você poderá se inteirar dos diversos avanços presentes na indústria da moda!

Um abraço!

Modellagio visita SENAI CETIQT

Continuando com o objetivo de lançar o mais rapidamente possível a plataforma que irá revolucionar o mercado digital de modelagem, procuramos o SENAI CETIQT, referência internacional para a formação de mão-de-obra e consultoria no setor de confecção e têxtil, para parceria técnica no sentido de validar os procedimentos de digitalização de modelos em papel e transferência para o nosso Fashion CAD exclusivo.

Esta iniciativa faz parte do programa SESI/SENAI de Inovação Tecnológica e visa entregar aos alunos daquela instituição o app para uso em suas fases ALFA e BETA de testes, sem custos, futuramente.

Estamos mais perto!

Aguardem!

O Futuro. Agora!

Já se tornou lugar comum apresentar o seriado em desenho animado dos anos 60 “Os Jetsons” como paradigma de futuro.

No caso da indústria da moda, um episódio de 1963 é crucial para entender o futuro. Nele, Jane, a esposa e Judy, a filha do casal, experimentam através de um improvável projetor holográfico amostras de vestidos e como ficariam com eles, sem que necessariamente a peça física estivesse ali. Claro que isso hoje já é totalmente possível…

As várias inovações que a indústria da moda usa fazem com que grandes coleções possam ser colocadas em produção de imediato e finalizadas em tempo recorde, para serem entregues nas lojas e postas a venda literalmente em semanas, em todo o mundo, em toda a parte.

Softwares de produção sofisticados e estratégia logística idem são necessários para tornar realidade esta visão. Isso hoje somente pode ser feito por grandes “players” mundiais da indústria da moda, devido ao alto custo envolvido.

Nós, da Modellagio, também temos uma visão de futuro. Um futuro que se inicia hoje, com o nosso software podendo ser “moldado” de acordo com as necessidades dos produtores de moda pequenos e médios, do design individual, podendo fazer com que sua coleção/criação inteira possa ganhar o mundo com facilidade a um custo atraente. É possível um novo modo de produção na cadeia da indústria da moda!

Para isso, desenvolvemos nosso primeiro app, o drappi. Ele será a base de toda a nossa base de softwares e vai ser construído em conjunto com você, consumidor e criador de moda. Nosso principal objetivo é tornar cada vez mais fácil divulgar seus modelos!

Neste primeiro momento, ele será a base de todo o nosso contato com você, disponibilizando, aos poucos e em fases, todos os recursos que imaginamos, e aperfeiçoando o nosso software juntos, no dia a dia da produção. É a economia colaborativa em ação, na prática!

Acreditamos que o futuro já começou! Agora! Vamos em frente!

Um abraço de nossa equipe!

drappi: nosso primeiro app para celular!

Estamos em fase final de produção, ainda em estágio Alfa, de lançamento de nosso primeiro app para celular, o drappi.

Com ele, você poderá tirar fotos de suas produções e, mais importante, de seu modelo em papel para futuramente transformá-lo em um modelo digital! Tudo com a ajuda de nossos softwares!

Esta primeira versão, ainda para avaliação por usuários selecionados, servirá para que possamos validar nosso modelo de negócio, que se baseia fortemente em interação com a comunidade que tenderá a crescer, esperamos, em torno do nosso ecossistema de software, tornando-o o mais completo do mercado e o mais simples e prático de usar.

Nosso objetivo é permitir ao pequeno e médio produtor/confecção melhorar a gestão de seu negócio, ao mesmo tempo em que vai tornar rentável a venda de suas modelagens.

Estamos quase lá, ou melhor, quase aí, com você!

Um grande abraço de toda a nossa equipe Modellagio+drappi.

Marketplace: a nova onda do e-commerce

E se você pudesse contar com um Marketplace que te ajudasse a vender suas produções de modelagem de vestuário de forma protegida, isto é, se tudo fosse feito de modo digital e não houvesse a possibilidade de alguém, a partir do seu modelo original, modificar inteiramente o seu trabalho, se você não quisesse isso? Já pensou em vender uma coleção completa para uma grande empresa da área de vestuário? De forma exclusiva?

Esta é apenas uma das características que iremos disponibilizar em nosso ecossistema de software de modelagem digital de vestuário, através do uso de app para celular, o drappi, e os demais softwares que vão compor o ecossistema Modellagio.

Aguarde apenas mais um pouquinho…

Estamos chegando!

Equipe Modellagio+drappi

Cadeia de Moda busca soluções em TIC para melhorar operação, gestão e experiência do consumidor

Com mais de 26 mil empresas no estado do Rio, a indústria de moda tem demandas por tecnologias que melhorem seus processos produtivos e a experiência do consumidor, o que pode fomentar a cadeia de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).

No segmento de vestuário, o grupo S2 Holding, detentor das marcas Cantão, Redley, Kenner e Bisi, busca soluções que vão desde a automação industrial das fábricas a sistemas que facilitem o processo de compra dos clientes nas lojas.

Alexandre Nogueira, gerente de TI da S2 Holding, ressalta que o objetivo é potencializar as tecnologias nas atividades que podem aumentar as receitas e, por outro lado, otimizá-las de forma a reduzir os custos. De acordo com ele, há desafios tanto nas lojas e na fábrica quanto no atendimento a obrigações legais, como Bloco K e o eSocial.

“Buscamos parceiros em TI que possam trazer soluções. Apresentamos oportunidades para sistemas que proporcionem melhorias na experiência do consumidor no varejo e diminuam os custos, com a automação industrial, no processo industrial ”, disse Nogueira.

Pertencente ao setor têxtil, a Hak Aviamentos decidiu expandir seus negócios para atender o mercado de bolsas, calçados e as indústrias naval e automotiva. O reposicionamento demandou investimentos em tecnologia, como a reestruturação do sistema de gestão.

Para 2017, segundo o responsável de Infraestrutura de TI da companhia, Joanes Castro, a empresa busca hardwares para atualização do parque de servidores e, principalmente, soluções em telecomunicações. “Nosso maior desafio para o próximo ano será implantar esse novo sistema. Esperamos, com esses investimentos, ter resultados melhores e qualidade de informação para decisões mais assertivas”, explicou.

Já a empresa Pouquet, também responsável pelo Portal da Bolsa, do segmento de Bolsas, Calçados e Acessórios, tem como principal demanda soluções para integração de plataformas dos canais de vendas. “Nosso foco em TIC é ter sistemas que atendam a esse desafio. Manter a competitividade significa proporcionar uma experiência sensorial de compra perfeita por meio de todos os pontos de contato com o cliente”, afirmou Flávio Stützel, gestor do Portal da Bolsa.

As oportunidades foram apresentadas no seminário Conexão TIC: Cadeia da Moda, que tem como objetivo fomentar negócios para as empresas de TIC fluminenses, abordando as demandas de outros setores por produtos e serviços em tecnologia. O evento também contou com uma apresentação para contextualizar a indústria da moda no estado do Rio.

De acordo com Ana Carla Torres, coordenadora de desenvolvimento Setorial do Sistema FIRJAN, há mudanças em curso no setor que irão impulsionar parcerias com as empresas de TIC. “ As tecnologias serão absorvidas de forma cada vez mais rápida pela cadeia, pois já estão muito disponíveis e conhecidas pelos empresários.  Soluções que apoiam as análises de informações e gestão de operação são fundamentais para a competividade”, declarou.

Para Felipe Meier, vice-presidente do Sindicato da Indústria Eletrônica, de Informática, de Telecomunicações, de Produção de Software, de Produção de Hardware, de Produção de Produtos Eletroeletrônicos e Componentes no Estado no Rio de Janeiro (Sinditec), há muito potencial para negócios entre os setores de moda e TIC. “A informática está na vida de todos e presente em diversos segmentos. Na moda não é diferente. Temos possibilidades interessantes de parcerias”, observou.

O Conexão TIC: Cadeia da Moda, promovido pela FIRJAN e o Sinditec, aconteceu em 8 de dezembro, na sede da Federação.

Fonte: Firjan